Meu parecer a respeito das reportagens sobre filtros amarelos e verdes e dislexia:

Infelizmente não existem 2 casos de de pacientes com dificuldades de leitura iguais.

O desafio em todos os pacientes avaliados nos últimos 25 anos de estudo dos distúrbios de aprendizagem têm sido encontrar fatores comuns que possam definir um tratamento único e, eventualmente, a cura.

Há crianças que se beneficiam de filtros SIM. Mas elas não se constituem maioria. Infelizmente.

Propagandas intensas têm sido veiculadas na mídia social para que os pais gastem muito dinheiro com óculos que nem sempre trazem os resultados esperados. Queixas que vão desde a forma como os óculos foram preparados (relacionadas a tons, subtons e várias outras irregularidades) até a ineficácia do tratamento trazem frustração para o paciente, para a família e descrédito para a Oftalmologia.

Nossa proposta é a de que nossos pesquisadores sejam criteriosos neste tipo de “propaganda subliminar”.
 

Paulo Sampaio - Oftalmologista